Escrito por Thayla Jamus Publicado em 23/09/2021

Não é novidade para ninguém que o assunto privacidade digital anda em alta atualmente.
Um exemplo muito claro é a LGPD no Brasil.

E a atualização do iOS 14, da Apple, só confirmou mais essa questão, afetando diretamente os anúncios e relatórios no Facebook.
Na prática, a Apple está dando a opção de permitir ou não a coleta de dados através de aplicativos: um recurso de privacidade que traz mais transparência na obtenção de dados dos usuários por apps.

O novo recurso pode ser bastante positivo para os usuários que buscam maior privacidade digital, mas um grande desafio para o marketing, que precisará investir em novas estratégias.

Mais privacidade 

Agora o usuário pode permitir ou bloquear o rastreamento dos seus dados pelo aplicativo.
Uma pesquisa
já apontou que 88% dos usuários optaram pela não permissão do rastreamento de dados. 

Com isso, impede-se a coleta de dados, impactando diretamente nas métricas e recursos de mensuração de atividade e interesses, limitando os anunciantes em eventos de conversão, relatórios, remarketing, anúncios dinâmicos, criação de públicos e distribuição do anúncio.

A nova política anti-rastreamento da Apple obriga desenvolvedores de aplicativos a pedirem a autorização de usuários para coletar seus dados fora do app, através de um pop-up de aviso chamado de AppTrackingTransparency (ATT). Normalmente são coletadas informações como localização, históricos de pesquisas e sites navegados para personalizar os anúncios exibidos no aplicativo em questão.

O que muda?

Alguns dos recursos que serão impactados são os eventos de conversão, criação de públicos personalizados, remarketing, anúncios dinâmicos e distribuição dos anúncios, além dos relatórios finais. 
Isso dificulta o trabalho das empresas que anunciam no Facebook, já que afetará a maneira do aplicativo receber e processar eventos de conversão de ferramentas com o pixel do aplicativo.
Afinal, quanto mais usuários desativarem o rastreamento dos seus dados, menor será a personalização de anúncios e a confiabilidade dos relatórios. 

Antes disso, todos os comportamentos e ações dos usuários na plataforma eram colhidos, trazendo muitas informações valiosas para as empresas utilizarem em suas segmentações de anúncios.

Hoje, por exemplo, 95% do faturamento de anúncios do Facebook vem de anúncios feitos para o mobile.
Ou seja, essa atualização pode trazer um grande impacto para as empresas que não se prepararem, já que muitos dados que antes eram utilizados não poderão mais ser usados sem a permissão do usuário.

Vale ressaltar que pedir autorização para rastrear as informações e atividades dos usuários é uma tendência que vem ganhando cada vez mais força, a exemplo da LGPD. Quem não se adequar, pode pagar uma multa milionária, além de perder a empresa.

Vantagem ou Desafio?

Para quem anuncia nas redes sociais, os principais desafios estão na limitação da visão de janelas de atribuição e dados cross device e channel, além da visão limitada de eventos de conversão, sendo necessário definir prioridades para mensuração.
Consequentemente, temos a limitação de dados para criação de públicos personalizados, para personalizar a comunicação como também para encontrar novos consumidores. 

Já para outras plataformas que mensuram e otimizam suas campanhas e algoritmos por cookies e que anunciam em sites e não em aplicativos, talvez não tenha tanto impacto. Por enquanto. O fim dos cookies já foi anunciado pelo Google para 2023.
Contudo, essas plataformas ainda precisam se adaptar às recomendações da LGPD.

Atualização iOS 14 e lei LGPD reforçam a importância de ter profissionais qualificados

Os novos caminhos da privacidade digital e utilização de dados só reforçam que profissionais qualificados são essenciais para o sucesso nas estratégias de marketing de qualquer empresa. Afinal, aquelas que não souberem se adaptar à nova realidade perderão muito do potencial dos anúncios, já que as campanhas não serão otimizadas da forma correta.

Esse movimento da Apple é um exemplo do quanto as marcas estão buscando transparência de informações na relação com o usuário. Os usuários, por sua vez, mais informados e conectados, querem ter maior acesso e informação de como os seus dados estão sendo utilizados pela sua própria segurança.

Com as novas políticas de privacidade, muitos dados a que normalmente as plataformas de mídia têm acesso e utilizam para que seus anunciantes alcancem resultados melhores passam a ser limitados e é preciso se adaptar para continuar entregando um bom resultado.

Suas ações de marketing não podem ser focadas em apenas um setor.
Os resultados de uma empresa só são possíveis quando alinhadas com estratégias completas de uma verdadeira engenharia digital.

Ainda não sabe qual a estratégia ideal para o seu negócio?
Solicite seu diagnóstico gratuito!

 

Compartilhe com seus amigos!

É novidade que você quer?
Então, assine nossa newsletter!

cookies

Oi, usamos cookies para melhorar sua experiência. Ao continuar navegando, você aceita sua utilização.