Publicado em 26/04/2018

“Acho que as maiores inovações do século 21 serão na intersecção da biologia e da tecnologia. Uma nova era está começando.” – Steve Jobs

Você já ouviu falar sobre Biobranding? É uma revolução das marcas que começou a definir um novo cenário de criação, baseado na inspiração das formas e tipos evolutivos dos seres vivos na natureza. Essa estratégia de criação faz com a gente perceba e entenda, de maneira consciente e inconsciente, resgatando a nossa origem evolutiva na representação arquitetônica das marcas.

Aqui no blog, você já pode conferir sobre o que é branding –  conjuntos de estratégias que, quando aplicadas de forma eficiente, contribuem para a construção da percepção do consumidor em relação à empresa de forma positiva.

Mas, surge nesse momento uma grande conversa sobre mudanças nesse cenário: o biobranding.

O Biobranding é um novo ponto de partida que contempla a criação de um ecossistema em torno da marca e sua gestão, integrando empresa e seu público, uma espécie de biosfera de interação, contemplando as necessidades das pessoas, do ambiente social, cultura e meio ambiente.

Devemos ter em mente que a natureza usa três princípios básicos da criação:

– Otimização: ela é obcecada com economia, considera todos os recursos preciosos demais para desperdício.

– Ciclo fechado: tudo que existe na natureza é regido por um ciclo fechado. Basicamente é aquele velho princípio de Lavoisier: “nada se perde, nada se cria, tudo se transforma”. O recurso e o resíduo têm o mesmo papel, ou seja, vida e morte têm papéis complementares.

– Interdependência: Em um ecossistema, todos os organismos que habitam o mesmo espaço estão interligados por uma grande teia. Ao puxar essa teia irá causar grande impacto na ordem natural das coisas, como se fosse um efeito dominó. É uma lógica que a natureza segue quando ela cria algo novo ou uma nova espécie, sempre levando em consideração esse impacto como um todo.

Assim, passamos por um processo de definição de um novo papel para as marcas, moldando todo território e definindo um novo modelo de gestão de negócios, levando os princípios da natureza em consideração a fim de imitar a vida. É uma área da ciência que busca entender os elementos, funções e estratégias da natureza e utilizá-las em projetos. Mais que um estudo, é uma forma de reprodução das formas orgânicas para que sua funcionalidade seja como a da natureza.

Alguns exemplos práticos

A Agência Kife foi pioneira em São Carlos a ter esse cuidado ao criar as marcas dos clientes.

  • Demoiselle

Para essa marca, desenvolvemos um ícone inspirado na Demoiselle de Santos Dumont também era conhecida como Libellule, em português, Libélula. Inspirados pela anatomia desse inseto que remete à vista de cima do ultraleve, criamos uma marca arrojada, com formas precisas e corte triangular.

  • Grupo Rupell

Para o Grupo Rupell, a Agência Kife criou tanto o nome quanto a marca inspirada no Abutre-de-Rüpell, nome popular de uma ave da família Accipitridae que ocorre em áreas da África Central. Tem cerca de um metro de comprimento e até 2,6 metros de envergadura. Seu nome é uma homenagem à Eduard Ruppell, explorador alemão. Ela é considerada a ave que voa mais alto e, por conta disso, simboliza proteção e vigilância, pois ao sobrevoar mais alto, ela tem uma visão mais ampla e faz relação direta ao monitoramento – conceito principal da empresa. Sendo assim, o ícone principal se funde com a tipografia, no qual a silhueta do Abutre-de-Rüpell em estado de alerta se transforma na letra “R”, inicial da marca, para passar a sensação de segurança, cuidado e alerta aos clientes da empresa.

  • Manobras de Confiança

Nessa marca, o conceito foi transmitir dinamismo e velocidade. O ícone representa uma aeronave estilizada, como se estivesse executando uma manobra invertida. Essa inversão, por sua vez, faz alusão a um beija-flor, pássaro com bastante domínio em retomadas e mudanças de direção durante o voo.

  • Gardênia Palomino

A proposta dessa marca é refletir a perfeição da natureza. O ícone representa a flor de gardênia de forma estilizada, desenhada a partir da proporção áurea, a regra de perfeição da natureza.

  • Parque Ecológico de São Carlos

Fundado em 1976, o Parque Ecológico de São Carlos oferece lazer contemplativo e educação ambiental, participando de escolas com visitas guiadas, cursos, palestras e exposições. Pensando nisso, a marca criada leva elementos como a Araucária, a árvore símbolo da cidade de São Carlos em conjunto com a silhueta de uma ema, ave típica da nossa região.

Ao traçar um paralelo entre os princípios de design utilizados tanto pela natureza quanto pelos seres humanos, podemos perceber que, na natureza encontramos negócios sustentáveis, que oferecem funcionalidades inovadoras para a sociedade e sejam capazes de sobreviver a um ambiente de mercado cujas crescentes adversidades exigem constante transformação e adaptação.

Tem uma empresa e precisa se destacar no mercado? Conte com a Kife, uma agência full service que irá te auxiliar com uma comunicação 360º.

Compartilhe com seus amigos!

É novidade que você quer?
Então, assine nossa newsletter!

cookies

Oi, usamos cookies para melhorar sua experiência. Ao continuar navegando, você aceita sua utilização.