A Biomimética como método criativo para desenvolver produtos - Kife
loading
Blog > A Biomimética como método criativo para desenvolver produtos
Publicado em 05/02/2018

Você já deve ter se perguntado o quê um biólogo está fazendo dentro de uma agência. Pois bem, em uma agência como a Kife que é 100% inovadora, ele faz parte de um time de desenvolvimento criativo de marcas e produtos, a fim de comunicar para as pessoas através da neurociência e outras disciplinas da ciência como a biomimética.

O desenvolvimento de marcas e produtos passam necessariamente por uma fase inicial de concepção, chamada de projeto informacional e conceitual. Durante essa fase, é necessária a geração de soluções alternativas, o que pede a participação criativa de um time de especialistas. Esse processo criativo conta com métodos e ferramentas que permitam a manifestação da criatividade gerando soluções úteis e inovadoras.

Há pesquisas que indicam que a criatividade para encontrar soluções, nasce com frequência na analogia direta com a natureza. O conceito de Biônica ou Biomimética consiste em analisar sistemas naturais e reproduzir seus princípios de solução, buscando contribuições relevantes no processo de desenvolvimento de produto. Essas adaptações permitem a criação de formas, funções e comportamentos análogos.

O termo biomimética provém da combinação das palavras gregas bios, que significa vida, e mimesis, que significa imitação. Dito de modo simples, é a imitação da vida. A biomimética é uma nova área da ciência que estuda as estruturas biológicas e suas funções, procurando aprender com a natureza (e não sobre ela) e utilizar esse conhecimento em diferentes domínios da ciência para o desenvolvimento de soluções para os problemas humanos.

As soluções da natureza podem contribuir para o processo criativo de um projeto, tanto na forma de analogia como através de seus padrões geométricos e matemáticos. É possível observar, por exemplo, constantes proporções matemáticas na constituição de seres humanos, animais e vegetais. Essas geometrias naturais são frequentemente associadas aos conceitos de estética, harmonia e equilíbrio, conformando verdadeiros símbolos de beleza, por exemplo a relação entre a célebre “razão áurea” e as faces belas de jovens mulheres. Da mesma forma, estudos demonstram análises de rostos de modelos famosas, onde 5% apresentaram relação ao que seriam um rosto 100% desenhado segundo a proporção áurea.

Com estudos de Biomimética, podemos com a natureza observar, aprender e se inspirar de acordo com suas formas, evoluções e adaptações.

Podemos com ela separá-la em três partes, são elas:

  • Natureza como modelo: Analisá-la como base de estudo e modelos, afim de imitá-los ou usá-los como inspirações como o objetivo de desenvolver marcas e produtos.
  • Natureza como uma medida: São bilhões de anos de evolução e a natureza aprendeu como funciona, o que é mais apropriado, adaptativo e o que mais pode dar certo por simples evolução. Desta maneira usamos os padrões ecológicos para julgar a relevância e a validade das nossas inovações.
  • Natureza como um mentor: Nova forma de observar e avaliar a natureza preocupando-se não no que podemos extrair do mundo natural, mas no que podemos aprender com ele.

Leonardo da Vinci, que foi um expoente na área da engenharia, dizia que, apesar da grande genialidade do homem, este nunca descobrirá uma invenção mais bela, mais econômica ou mais direta que a natureza. As observações e experimentos descritos em seus diários, dentre os quais é possível encontrar uma primeira ideia de submarino, de asa-delta, de tanques de guerra, de pontes e dezenas de peças mecânicas, são claros exemplos de sua inspiração nos modelos naturais.

Exemplo da Biomimética como métodos para desenvolvimento de produtos:

Speedo Fastskin e o Tubarão

A linha de maiôs Speedo Fastskin para a natação se envolveu em diversas polêmicas, mas tem um preceito da biomimética. Um modelo dessa linha foi até banido em 2009, pois melhorava consideravelmente o desempenho do atleta. A grande questão é que esse maiô é inspirado na pele do tubarão, que contém pequenos dentículos cutâneos que facilitam a movimentação do animal na água.

Compartilhe com seus amigos!
Peça um orçamento

Assine nossa newsletter e receba os melhores materiais em seu e-mail.